IMG_2648.JPG

Olá!

Bem vindo ao nosso blog. Aqui eu conto um pouco sobre minhas experiências dentro da Odontologia nos EUA e o Processo de Validação do Diploma de Odontologia nos EUA. Espero que você aprenda bastante!

A ponta do Iceberg

A ponta do Iceberg

            Depois de certo tempo trabalhando como Dentista aqui nos EUA eu tive a oportunidade aprender sobre o processo para Validação do Diploma. Tive a chance de ter contato com gente que passou pelos programas de Residência (AEGD) e o Advanced Standing Program que é o programa que efetivamente capacita Dentistas formados fora dos EUA em exercer a Odontologia em solo Norte-Americano.

            Algumas coisas me vieram a cabeça e eu gostaria de compartilhar aqui, por que eu acho importante sempre frisar que, ainda que seja um sonho - e se a gente batalhar e buscar nossos sonhos a gente consegue sempre (blah, blah, blah...) –é importante saber muito bem o caminho para onde a gente quer ir.

            Há alguns anos recebi um email de um Dentista recém-formado que disse que queria vir trabalhar nos EUA por que ele achava que no Brasil ele não conseguiria ganhar dinheiro. Creio que já deva ter falado sobre este assunto por aqui. Falei que do modo como ele se expressou eu achava que sua motivação estava errada e que como profissional da saúde seu foco deveria ser diferente, serviço, ajudar as pessoas... dinheiro por ultimo. Dinheiro deve ser sempre o resultado de trabalho, não a motivação para tal. Tudo bem...  passou e aqui estamos.

            Eu não sei se esse rapaz conseguiu o que ele queria em termos profissionais. Para mim, desde que ele tenha em mente o caminho correto e ético como base da sua vida, desejo sempre muito sucesso para todos que buscam melhorar suas vidas. Mas o que me chamou a atenção nesta semana foi uma conversa que tive com um antigo Residente que tive que ingressou no programa de Advanced Standing na Tufts Dental School em Boston.

            Esse rapaz passou um ano inteiro totalmente envolvido e submerso dentro das atividades diárias de dois dos Community Health Centers da Empresa onde trabalho. O rapaz era bom. Atencioso e com um futuro muito grande à sua frente. Sua esposa ingressou no Advanced Standing Program na mesma Universidade um ano antes dele e eu creio que para ele não ficar atrás ele decidiu aplicar também. Aplicou, foi aceito e logo depois de terminar o tempo da sua Residência em General Dentistry ele voltou para os bancos da Faculdade.

            Tive a chance de conversar com ele sobre esses primeiros seis meses de volta às aulas, trabalhos, laboratório e clinica. O que eu ouvi dele não foi uma coisa que eu esperava ouvir. Primeiro ele disse que se sentiu como se tivesse dado um passo muito grande para trás. Ter saído de um programa de Residência e retornar para a Faculdade deu para ele um sentimento retrógrado. Digo isso porque, segundo ele, a autonomia que ele tinha e o reconhecimento que ele teve durante um ano como Dentista foi colocado totalmente para baixo sendo visto novamente como um mero estudante.

            Segundo ele existem – como em todas as Faculdades – professores que te ajudam e outros que te afundam. Alguns, disse ele, te colocam para cima e te dão uma certa autonomia nas decisões clinicas que aparecem. Outros, por outro lado, fazem questão de te colocar para baixo por que eles sabem que a capacidade e vivência clinica dele está em um nível muito diferente quando comparado com alunos que não tem experiência clinica nenhuma. Essa posição como Professores oferece a oportunidade de usarem deste poder para dificultar a vida dos Alunos que já têm vivência clinica. A solução? Muito simples. É aprender a baixar a cabeça e responder “sim senhor” e “sim senhora” ainda que por algumas vezes o aluno do Advanced Standing Program saiba mais do que o seu próprio Professor.

            Mas e aí? Ainda assim vale a pena? Engoliu-se muito sapo nos anos de faculdade no Brasil e agora tem-se que voltar na mesma dieta simplesmente para avançar em 4 semestres? A resposta? Sim.

            A ultima coisa que a gente quer e arrumar encrenca. Primeiro que não vai levar a nada. Aliás... pode-se levar a muito stress e dor de cabeça. Uma chateação totalmente desnecessária que pode muito bem ser evitada no momento em que você adentra às portas de uma Universidade Americana com um sentimento de humildade. Esses anos ali vão te dar uma lição de humildade nunca antes vivida. Você não vai querer arrumar problema para sua vida com gente que tem o poder de fazer você se endividar ainda mais do que você já está por conta de picuinha. O seu preparo no dente do manequim está perfeito – você sabe disso – mas o professor fala para você fazer outro, vai lá e faz. Não fique arrumando desculpas para não fazer. Não vá querer se fazer de difícil, dizendo que sua experiência clinica te mostrou diferente. Ali ninguém quer saber do que você sabe ou deixou de saber. Quando você ingressa na Faculdade todos – TODOS – estão no mesmo nível. O seu destaque se dará no dia a dia, no seu relacionamento interpessoal, na sua forma de abordar os colegas, os pacientes e seus professores. Tenha certeza de que todos os seus passos, palavras e gestos estarão sendo observados muito de perto.

            O trabalho de estudo e preparo para o Advanced Standing Program é somente a ponta do iceberg. Muita coisa fica submersa durante este processo. Tenha em mente que seus dias ali dentro estarão sendo somados a momentos muito mais expressivos no seu futuro dentro da Odontologia. O caminho é fácil? Claro que não! Mas impossível também não é. Quer ter sucesso? Levante a cabeça e vá atrás dele.

            Um abraço e sucesso sempre!

Experiência para a vida

Experiência para a vida

Revisão

Revisão