IMG_2648.JPG

Olá!

Bem vindo ao nosso blog. Aqui eu conto um pouco sobre minhas experiências dentro da Odontologia nos EUA e o Processo de Validação do Diploma de Odontologia nos EUA. Espero que você aprenda bastante!

TPD

            Desde que decidi iniciar este blog, minha intenção - como dito no titulo da pagina - sempre foi compartilhar minhas impressões sobre a vida de um Dentista Brasileiro aqui nos EUA. As diferenças, as coisas em comum, o que vejo aqui e posso comparar com meu tempo de trabalho no Brasil. No meu ultimo post recebi um pedido a respeito da vida de um Protético aqui nos EUA. O lugar onde trabalho faz uso do serviço de um mesmo laboratório por pelo menos 5 anos. Eu sempre tive na pessoa do Protético a pessoa de um parceiro. Nos meus últimos dias no Brasil em 2007, fiz questão de me despedir do meu Protético. Um cara que vai longe.

            Aqui eu não sei como funciona a formação de um protético. Mas sei que o trabalho deles é esquadrinhado milímetro por milímetro pelos Dentistas. Eu tenho a grata satisfação de poder ter um relacionamento muito bom com o Protético com quem trabalho. Uma coisa em que eu acredito profundamente é na demonstração de gratidão por um trabalho bem feito. Claro que uma moldagem precisa, um registro de mordida bem feito ajuda no trabalho dele, mas é importante salientar que cada um tem o seu papel a ser desempenhado. Aqui nos EUA muitos Dentistas se acham superiores aos demais cidadãos ou mesmo aos demais Dentistas. Para um Técnico, receber a ligação de um Dentista agradecendo pelo trabalho bem feito, o dando o feedback de uma prótese bem adaptada faz toda a diferença.

            No laboratório que visitei, não vi muita diferença dos que eu conheci no Brasil. Gesso é gesso, articulador é articulador, dente é dente e resina é resina. Claro que existem algumas diferenças de qualidade aqui e ali, mas no geral é tudo a mesma coisa. Chama-me a atenção, sempre, a organização do meu Protético. Todos os serviços são embalados em sacolas de papel, devidamente identificadas com o nome do paciente e o Dentista responsável. Outra coisa é que todos os casos que chegam no Laboratório tem sua ficha aberta em um computador com um software especifico para este fim. Todas as informações pertinentes ao caso são registrados ali. Se no futuro o mesmo paciente precisa de um reparo ou a substituição de um dente, o Técnico tem ao seu dispor a cor, forma do dente e tudo que se faz necessário para o trabalho. Eu acredito que eles vivam bem também. Trabalham duro. Mas... de segunda a sexta.

            O Laboratório com quem trabalho tem uma equipe de aproximadamente 5 pessoas. Isso foi o que eu conheci, porque pela quantidade de trabalho a ser entregue ali, eu acho que devem ser um total de 10 pessoas. O que é muito comum aqui eh o uso de Laboratórios.... como direi... que se parecem como fabricas. Se você clicar no Google Glidewell, terá uma potencia neste setor. Localizado na Califórnia, fazem um trabalho primoroso e recebem modelos para confecção de todos os procedimentos necessários em qualquer área. De uma prótese total e uma prótese sobre implante. São caprichosos e principalmente pontuais. Isso, sim, assunto para muitas discussões é ponto preponderante no que diz respeito ao relacionamento Dentista - Técnico. A pontualidade do trabalho é sempre respeitada. Pouquíssimas vezes não tive o trabalho em mãos para ser entregue ao paciente. Mas isso é assunto para outra vez.

            O Dentista Brasileiro que queira vir para os EUA, pode trabalhar em um Laboratório Protético sem qualquer restrição. Para aqueles que gostam do trabalho técnico é uma boa pedida, pois teriam a chance de se manter dentro da área odontológica, ter a chance de dispor de matérias de boa qualidade, ganhar o respeito de outros dentistas americanos e ter um trabalho digno e de qualidade.

Drogas, Farmacologia e afins

Drogas, Farmacologia e afins

Para Recomeçar

Para Recomeçar